Tudo que você precisa saber sobre fazer jejum intermitente de forma correta


Você já pensou em fazer jejum intermitente? Já ouviu por ai que fazer jejum é bom para emagrecer?

Fazer jejum pode ser muito legal não só para emagrecer, mas também para tratar e prevenir doenças e principalmente melhorar o potencial das nossas células. Existem sim estudos comprovando o beneficio dele. Mas pera ae. Fazer jejum assim do nada sem ter uma alimentação legal por traz e sem ter feito preparo para isso pode ser um tiro que sai pela culatra. Então muita calma e entenda aqui o que é o jejum que realmente pode fazer a diferença na sua saúde, ok?

Fazer jejum é deixar o corpo em estado de balanço energético negativo e fazer a troca metabólica da glicose para formação de cetonas ( que vem do metabolismo das gorduras como resposta adaptativa), resumindo, é ensinar seu corpo  a queimar gorduras com mais eficiência. Mas já sabemos que junto com isso outros pontos positivos podem acontecer como melhora da ação da insulina, reciclamento de células danificadas, descarte natural de células antigas,  renovação e rejuvenescimento celular, mais resistência a doenças, renovação de neurônios, modulação de microbiota, ajustar relógio biológico e reversão de um quadro de diabetes tipo2. Parece interessante, não?

Há varias formas de praticar o jejum, que pode ser diariamente como um hábito que se cria e pode ser também aplicado somente alguns dias da semana. A refeição a ser excluída não necessariamente é o café da manhã.

É preciso preparar o corpo para uma prática de jejum. Exercitar aos poucos para que ele fique mais horas sem se alimentar é um passo importantes antes de sair já ficando horas sem comer. Esse preparo organiza gradualmente as funções metabólicas.

O tipo de alimentação que você faz e seu estilo de vida são de elevadíssimo impacto nesses benefícios que o jejum traz. Não adianta se encher de comida processada, frituras, churrasco e álcool e depois fazer jejum para compensar. Não adiante ter uma alimentação pobre em nutrientes. nestes casos o resultado na saúde pode ser pior.

A alimentação de mais baixo carboidrato parece ser a mais interessante para se associar a prática de jejum.

É  uma atitude que pode virar rotina e ser tranquilamente inserida no seu estilo de vida

A refeição da noite parece ser a mais interessante para suprimir, mas como nutricionista preciso olhar cada individuo de forma bem particular e traçar a melhora estratégia de jejum de forma individualizada.

Existem nutrientes como por exemplo o magnésio que precisam de atenção especial em pessoas que praticam jejum intermitente. Pois na prática ele pode sofrer mais excreção e se você ficar com pouco magnésio no corpo, várias funções orgânicas podem ser comprometidas a longo prazo.

É preciso coerência e aprendizado pra aplicação do jejum intermitente. Não basta sair cortando refeições do nada.

Quer fazer jejum? Consulte um nutricionista e entenda na sua situação qual momento e quel estratégia será mais recomendada para você.